Wizink condenada a devolver o valor de 34.163 euros por um cartão “revolving” a um cliente

O juiz magistrado do Superior Tribunal de Justiça da Catalunha, na qualidade de presidente do Tribunal de Primeira Instância nº11 de Barcelona, ​​condenou WizinkBank, S.A. a devolver 34.163 euros a um cidadão de barcelona, cujo dinheiro pago ultrapassava o capital inicialmente previsto.

A decisão, datada de 31 de março, declara a nulidade das cláusulas sobre juros remuneratórios e sobre a comissão de reclamação de créditos vencidos incorporados no contrato de cartão de crédito celebrado pelas partes em 11 de maio de 2004.

Em consequência, dos 34.163 euros, 10.825 foram também descontados como dívida do cartão.

“A verdade é que este cartão foi-me oferecido por um amigo que trabalhava como comercial para o banco e eu fiz-lhe um favor. Ao princípio e na verdade, é que eu achei uma opção comoda para financiar as minhas compras, e não me explicaram quase nada de como funcionava”, lembra o morador de Barcelona.

Uma forma “conveniente” de financiamento que o cliente deste producto passou a usar, pagando as todas as mensalidades religiosamente para liquidar algumas compras que tinha efetuado.

Porém, no início do ano 2000, uma situação de crise econômica abalou o afetado, que passou a utilizar o cartão de crédito para fazer frente a diversos pagamentos necessários.

“O banco aumentou o meu limite de crédito sem me avisar e foi aí onde o problema começou. No entanto eu continuei a pagar mensalmente, mas, por mais que pagasse, as mensalidades continuavam muito altas, por conta dos juros aplicados e eu mal conseguia pagar a dívida”, explica o afetado.

Neste caso em que a falta de transparência tem sido fundamental para que a Justiça anule o contrato do referido cartão “revolving” Wizink.

“Foi uma situação que se arrastou durante anos e anos. Até tentei negociar uma saída, para converter aquela dívida em outro tipo de crédito mais fácil de pagar, mas e eles recusaram. Então eu decidi terminar com a situação e entrar com uma ação contra Wizink”.

Para este cidadão, a sentença supôs um enorme alívio financeiro.

Fonte: Jornal Confilegal.

Link: https://confilegal.com/20210818-wizink-condenada-a-devolver-mas-de-34-163-euros-por-una-tarjeta-revolving-a-un-barcelones/

 

Outros Posts